Branqueamento dentario


Imagine a seguinte situação: Um utente confessou que gostaria de fazer um branqueamento dentário, mas não sabe bem o que é nem como é feito e perguntou-lhe o que achava sobre o assunto.

Será que o conseguia ajudar? Sabe o que é um branqueamento dentário e se são eficazes e seguros? Descubra tudo neste artigo e fique EMFORMA!

 

Sabe se todas as pessoas podem branquear os dentes?

De uma maneira geral, qualquer pessoa com um bom estado de saúde oral pode efetuar um branqueamento dentário.

No entanto, alguns pacientes com problemas dentários, lesões de cárie, desgastes, sensibilidade dentária e outros poderão necessitar de tratamentos prévios.

 

Existe uma idade mínima para se fazer um branqueamento dentário?

Sim. Relativamente à idade, os jovens com menos de 18 anos não podem efetuar branqueamentos.

 

Qual a melhor técnica para branquear os dentes?

A seleção da técnica a ser usada depende essencialmente das condições clínicas de cada pessoa, das suas expectativas e do tempo de tratamento pretendido.

O médico dentista pode aconselhá-lo quanto à técnica mais correta e adequada para cada pessoa, sempre com base na melhor relação eficácia/segurança.

 

Qual é a grande diferença entre os produtos de branqueamento dentário vendidos no supermercado e aqueles que são aplicados no consultório?

Os produtos de venda livre não podem ter na sua constituição uma percentagem superior a 0,1% de peróxido de hidrogénio, que é o produto branqueador por excelência e é por esse motivo que os produtos de venda livre veem questionada a sua eficácia.

Existem duas opções de tratamento supervisionados pelo Médico Dentista: aplicação do material branqueador em casa ou no consultório.

Nos tratamentos supervisionados pelo médico dentista, na aplicação do material branqueador em casa, utilizam-se produtos de menor concentração (peróxido de carbamida a 10% até 16%), por períodos variáveis de tempo (de 1 a 8 horas diárias), durante vários dias ou semanas.

No caso da aplicação no consultório, pode contemplar-se a utilização de peróxido de carbamida até 16% e/ou peróxido de hidrogénio até 6%. Estes produtos só podem ser aplicados por profissionais sob condições perfeitamente controladas.

 

Será que os tratamentos de branqueamento dentário à venda no supermercado são seguros?

Embora existam disponíveis no mercado (supermercados, farmácias e TV-Shops) produtos de venda livre publicitados como “branqueadores”, a Ordem dos Médicos Dentistas destaca que a segurança na utilização profissional de produtos branqueadores dentários está salvaguardada apenas com a supervisão do médico dentista.

Nos produtos de venda livre não se pode garantir que a aplicação por terceiros na boca do utente cumpre com todas as regras de higiene e segurança. E, neste sentido, podemos afirmar que o branqueamento dentário profissional, ato médico realizado por profissionais de saúde oral, é mais seguro.

 

Existem procedimentos que envolvem luzes de laser. São mais eficazes?

As luzes são usadas para acelerar a reação química dos produtos, na tentativa de tornar o processo de branqueamento mais rápido. O que exerce um efeito branqueador são os produtos químicos aplicados em simultâneo.

 

Se um paciente tiver restaurações ou próteses dentárias tem de as remover?

Os produtos de branqueamento não atuam nos materiais que compõem restaurações e próteses dentárias. Neste sentido, utentes que possuam restaurações e próteses dentárias poderão ter a necessidade de substituir ou reparar as mesmas no final do tratamento de branqueamento, para harmonizar a cor e a integridade das restaurações dentárias.

 

Podem surgir efeitos secundários?

De um modo geral, os efeitos secundários, quer a nível dentário quer a nível das gengivas, estão relacionados com a concentração dos produtos, a forma como são aplicados e as condições específicas de cada paciente.

Os efeitos secundários que surgem com mais frequência são a sensibilidade dentária e algum desconforto gengival que normalmente desaparece com a interrupção do tratamento. No entanto, a aplicação incorreta dos produtos químicos de maior concentração, com ou sem luzes acessórias, pode provocar lesões mais graves e duradouras. O seu médico dentista pode prevenir e controlar clinicamente estas condições.

 

O farmacêutico deve ainda encorajar o seu utente a esclarecer as suas dúvidas com um médico dentista, que lhe poderá explicar os vários tratamentos de branqueamento dentário disponíveis, qual o mais adequado e quais os resultados que pode esperar.

 

Esperamos que tenha gostado deste artigo e que lhe seja útil.

Fique atento às próximas novidades que preparamos para si…

Fique EMFORMA!

 

Folhetos educativos Ordem dos Médicos Dentistas – BRANQUEAMENTO DENTÁRIO. Disponível em https://www.omd.pt/publico/folhetos/ data de consulta a 16/07/2019

Ao continuar a navegar na página web, o utilizador está a concordar expressamente com a colocação de cookies no seu computador que permitem medir estatísticas de visitas e melhorar a qualidade dos conteúdos oferecidos. Clique aqui para mais informações.