Fotoproteçao


Com o aproximar do Verão, aumenta também a exposição solar. Nesse sentido, é sempre útil dar alguns conselhos aos seus utentes!

Neste artigo vamos responder a algumas questões que o seu utente pode fazer sobre a exposição solar.

 

- Como é feita uma exposição solar de forma responsável?

É provável que vários utentes estejam alerta para os perigos da exposição solar e queiram saber mais sobre a temática.

A intensidade da radiação solar é influenciada pela altura do dia, estação do ano, condições climatéricas, altitude, latitude, superfícies refletoras, entre outros aspetos.

A melhor maneira para prevenir danos cutâneos é a adoção de comportamentos corretos. Dê as seguintes dicas aos seus utentes:

• Inicie a exposição ao sol de forma gradual, evitando sempre as horas de intensidade máxima (entre as 11 e as 17 horas);

• Não permaneça ao sol por períodos muito prolongados e recorra à sombra;

• Utilize protetor solar com fator de proteção solar adequado ao seu tipo de pele, de preferência igual ou superior a 30;

• Aumente a ingestão de água;

• Evite expor-se ao sol caso tome medicamentos que possam provocar reações de fotossensibilidade;

• Deve existir extrema precaução com a exposição ao sol de crianças pequenas! As crianças com menos de seis meses não devem ser expostas ao sol de todo, recomendando-se o uso de chapéus, roupa protetora e permanecer na sombra;

• Em crianças mais velhas pode ser aplicado um protetor solar, preferencialmente com um filtro físico, devendo evitar-se a exposição direta ao sol de crianças com menos de três anos.

 

- Quais os efeitos a curto prazo da exposição solar?

Os efeitos mais imediatos da exposição solar constituem uma resposta inflamatória ao dano causado pela radiação UV, manifestando-se sob a forma de eritema e queimaduras.

Em indivíduos afetados por fotodermatoses podem também surgir reações agudas.

Existem ainda reações de fotossensibilidade causadas por fármacos, podendo ser reações fotoalérgicas ou fototóxicas. Estas caraterizam-se por erupções cutâneas em áreas expostas ao sol e resultam de uma reação tóxica ou alérgica entre os fármacos e a radiação UV, principalmente UVA.

 

- E quais são os efeitos da exposição solar a longo prazo?

Os efeitos das radiações UV são cumulativos e progressivos.

A exposição crónica excessiva desencadeia alterações da regulação celular e acelera a degeneração da estrutura e função da pele. O fotoenvelhecimento carateriza-se pelo aparecimento de rugas, secura, hiperqueratose, pigmentação irregular, telangiectasia e perda de elasticidade. A exposição solar excessiva e continuada também pode causar imunossupressão e queratoses actínicas, que são fatores de risco de cancros cutâneos.

Os diferentes tipos de radiação UV estão associados a diferentes efeitos biológicos:

• A radiação UVA consegue penetrar a derme, produzindo bronzeamento imediato com escasso eritema. Contribui para os efeitos a longo prazo, podendo causar dano direto e indireto no ADN por geração de radicais livres, fotoenvelhecimento, imunossupressão e fotocarcinogénese. Está ainda associada a reações fototóxicas e fotoalérgicas.

• A radiação UVB é absorvida pela epiderme maioritariamente, sendo responsável pelo aparecimento de eritema, queimaduras solares e por dano direto no ADN, contribuindo para os efeitos a longo prazo. Este tipo de radiação também produz bronzeamento por pigmentação indireta.  

• A radiação UVC apresenta fortes propriedades mutagénicas e eritematosas, e é absorvida, quase na sua totalidade, pela camada de ozono da atmosfera.

 

- Devo utilizar óculos de sol?

Claro que sim, os óculos de sol são um elemento importante de proteção solar.

Os óculos de sol protegem a pele, os olhos e as pálpebras, prevenindo o desenvolvimento de alterações como cataratas, pterígio, fotoqueratite e, possivelmente, melanomas da retina e degeneração macular relacionada com a idade.

Os óculos devem filtrar a radiação UVA e UVB. As lentes mais escuras não conferem necessariamente maior proteção UV, podendo causar dilatação da pupila e maior chegada de radiação à retina.

 

- Como é feita corretamente a aplicação de protetores solares?

A eficácia de um protetor solar é dependente da sua correta aplicação. Dê as seguintes dicas ao seu utente para garantir que este aplica o protetor solar da melhor maneira possível.

• Os protetores solares devem ser aplicados em abundância e de maneira uniforme, 15 a 30 minutos antes da exposição solar.

• Para garantir a proteção, é necessário aplicar pelo menos 2 mg de protetor solar por cm2 de pele.

• O protetor solar escolhido deve ser adequado ao fototipo cutâneo.

• Para permanecer eficaz, o protetor deve ser reaplicado frequentemente, a cada 2 horas, mas também depois de cada banho, ou caso ocorra muita transpiração.

• Há que ter em atenção o prazo de validade e/ou o prazo de utilização do protetor solar! O protetor não deve ser utilizado se apresentar alterações de aspeto ou de odor após algum tempo de uso. A embalagem deve ser bem fechada após cada utilização e não deve ser exposta a grandes variações de temperatura, fontes de calor ou exposição direta ao sol.

 

- A utilização de protetor solar causa deficiência em vitamina D?

Como a síntese de vitamina D requer exposição cutânea à radiação UVB, esta poderá ser uma pergunta de algum utente mais curioso.

Tem sido sugerido que a aplicação regular de protetor solar origina níveis insuficientes de vitamina D. No entanto, isto não é consensual e existem estudos que não mostraram qualquer correlação entre o uso de proteção solar e deficiência em vitamina D.

Considera-se, contudo, que indivíduos de tez escura, idosos, pessoas com fotossensibilidade ou obesidade e que utilizem regularmente proteção solar devem aconselhar-se com o seu médico relativamente à exposição solar, ao uso de proteção solar e a toma de vitamina D.

 


O que achou deste artigo?

 

Até à próxima!

Fique EMFORMA.

 


Mendes, Ana. Fotoproteção – Usufruir do sol, evitando os seus riscos. Centro de Infromação do Medicamento. Acedido em https://www.ordemfarmaceuticos.pt/fotos/publicacoes/cim_e_publicacoes_fotoprotecao_21313684055b34ea2bb818f.pdf em 01/04/2019

Ao continuar a navegar na página web, o utilizador está a concordar expressamente com a colocação de cookies no seu computador que permitem medir estatísticas de visitas e melhorar a qualidade dos conteúdos oferecidos. Clique aqui para mais informações.